terça-feira, 13 de maio de 2008

Na noite passada sonhei que alguém me amava...

Noite passada sonhei que alguém me amava, e que o amor significava algo além de uma palavra que necessita de muita poesia para existir. Sonhei que todos os meus sentimentos eram tangíveis e que não era preciso mais que olhares para ser compreendida. Sonhei que pacientemente ela estava ao meu lado, apenas a observar minha face úmida, vermelha de lágrimas incessantes que haviam caído por uma semana inteira. E ela, bela e honesta, olhava-me e amava-me. Neste sonho ela era tudo que meu coração precisava, ela era uma entidade certa e densa. Nela continha minha tristeza e alegria. Seu olhar profundo me coagia, mas também me aquietava. Ela era grande, muito maior que eu. Na noite que nos encontramos em sonho o mundo era noturno. Justo nós que temíamos a noite, não pelos medos que ela nos remete, mas pelas alegrias que apenas a noite contém. Então, sentadas na calçada nós estávamos mais unidas do que estaríamos em qualquer cama de motel. Eu chorava porque sabia que ela me amava, e ela, com uma paciência rara em um ser, ficou por horas parada ao meu lado. E eu chorava por uma semana inteira. Solucei ao seu lado, tão agressivo quanto afetuoso. Na noite passada eu sonhei que alguém me amava e me aterrorizei por isso. Quando olhei para o lado entendi que ela, que estava sentada a me olhar constantemente, vi que mesmo tendo os olhos azuis seus olhos possuíam o mesmo brilho de todas as outras que já estiveram ao meu lado, e que este brilho poderia me cegar se eu olhasse muito em sua direção.
Quando acordei entendi que ela estará sempre comigo, mesmo que nós nunca consigamos nos compreender tão simplesmente, mesmo que nossa relação seja sempre um mar turvo e complicado. Ela sempre existirá em minha vida, ela sempre me fará perceber que as amigas são uma entidade muito além de qualquer imaginação. Ela sempre aparecerá em sonhos para me dizer que essa palavra que humano alimenta, o amor, não passa de uma invenção, e que o único sentimento perfeito e, necessariamente incompreensível, é a amizade.

2 comentários:

Limbonauta disse...

Conformismo melancólico. Gostei, ainda assim.

Deve ser porque se parece comigo.

lesly disse...

Não sugar todo seu leite.
Nem quero você enfeite do meu ser.
Apenas te peço que respeite.
O meu louco querer.

Lembrei da música de Marina.