quarta-feira, 7 de maio de 2008

Minha Brasília

Quatro dias, noventa e seis horas e uma eternidade para lembrar duma Brasília tão seca, fria e corrupta, mas possuidora de uma sagacidade que me faz escrever.

Foram tantos que exalaram toda a fragrância de uma loucura juvenil estancada nos corpos, nos olhares, nos desejos que desconhecia a existência do outro.

Um encontro para lá de piriquitante!

Foi no quilombo, na sala, no quarto, durante noventa e duas horas de um frenético sopro do prazer crítico, irônico, alcoólatra, dopado.

Brasília deixa em nossa memória um pedaço de toda mistura étnica cheia de vícios e de sonhos.

Dessa lembrança guardo o choro de desespero em não ir que pré-sentia o quanto seria inédito estar lá.

Sobre este texto nostálgico fica a lembrança de uma conquista imaterial, preenchida com o novo, discutida com o outro e encerrada a cada noite embriagada nos braços de quem acabava de amar.

Mas é hora de fazer o check-in, chegou à hora de volta.

Volta para o cotidiano pobre, sem sonho, sem ideologias que guarda na alma o desejo de viver o próximo majestoso delírio humano.

7 comentários:

Matita Perê disse...

"Sei que preciso aprender
Quero viver pra saber
E conhecer Brasília..."

adorei sua estréia.

aguardarei anciosa pelas quartas.

Pagu disse...

sinto que a rotina me consome e quando saio dela sinto a vontade de buscar o delírio, o prazer , do desconhecido , do novo...então um dia também irei a Brasília..

Camila disse...

lele não sabia desse seu lado tão poético!!!!!
adorei

bjs

Rodrigo disse...

Prazeroso, sem dúvida.

"E, mesmo com o ar, desse jeito, tão seco, consigo cantar no seu chão..."

A idéia é essa Lê, e meninas, mesmo neste ar tão rarefeito de poesia, a gente inala sonhos.

Fabi disse...

"Minha Brasília" é linda e fantástica. E cheia de poesia, sincretismo, curvas e retas, ar seco, políticos corruptos, gente boa, ente má, de todas as tribos, pra todos os gostos. A cidade é mágica pra alguns. Abençoada pra outros. O berço da futura civilização pruns tantos outros. Pra mim, significa acolhimento, segurança, colo de mãe. É minha amada cidade, com o céu mais encantador que qualquer coisa que já vi. Tem seus defeitos. Mas sou suspeita pra falar deles. E repito, tem poesia.

Rebordosa disse...

Inspirações de noites eternas que levaremos para onde formos... Sim sim, transformem tudo em poesia!

Rebordosa disse...

Inspirações de noites eternas que levaremos para onde formos... Sim sim, transformem tudo em poesia!