quinta-feira, 8 de maio de 2008

Maneira Profana de Amar

Esta acaba sendo minha estréia aqui, melhor então começar por aquilo que gosto mais: poesia. Nada mais justo do que homenagear quem me trouxe até aqui, quem me aproximou destas pessoas e que eu espero que me arraste até onde ela vá.

Você sorri como um anjo
E me incendeia feito o inferno.
E no cerne desta contradição, suas palavras
E beijos;
Trazendo à superfície de meu corpo
Sensações tão contrastantes entre si.
Quando caí nos teus braços,
Pus meu coração na linha de fogo
E tu passaste a escrever em meu peito
Mais um pequeno capítulo desta velha
Comédia humana,
Tragédia de desenganos e incomunicabilidade,
Romance de corpos e provas de amor;
Ah, coração sugestionável!
Não quero mais nada,
Nem certeza nem vontade,
Nem mais um ano de vida nem recordações:Só teus lábios ardentes me trazem o sabor da verdade.

3 comentários:

Rebordosa disse...

Quem dera o espelho que a tela reflete ficasse registrado aqui e todos pudessem ver meu comentário umido e sem palavras... Te levarei comigo meu amor, para muito mais longe do que você pode imaginar!

Limbonauta disse...

Lindo, e com muito açúcar. Já ouvi dizer que glicose e vodca produziam um efeito afrodisíaco nos russos.

Como diria um cantor, o "meu Exú só bebe com adoçante."

Prefiro vinho. ainda posso sentar-me à mesa?

Pagu disse...

boquiaberta com a qualidade da homenagem...